Novo normal no RH: como o pós-pandemia está mudando o presente

O RH começa a enfrentar desafios, incluindo a capacidade de adaptação das pessoas, comunicação interna, inseguranças profissionais sobre o futuro e muito mais.

Os departamentos de RH em tempos de crise devem se reinventar, apostando em novas estruturas e modelos para garantir o mínimo de estabilidade em meio a tanta insegurança. Cenários dão origem a novas tendências, e o “novo normal” também é uma aposta pós-pandemia.

Quer de saber mais sobre o “novo normal” que o RH está vivenciando e deve seguir nos próximos anos?

 

O “novo normal” da epidemia

O surto de coronavírus já afetou mais de 4 milhões de pessoas em todo o mundo. Países como Estados Unidos, Espanha, Rússia, Reino Unido, Itália e Brasil estão entre os mais afetados pela doença, que foi registrada oficialmente pela primeira vez na China.

A crise sanitária causada pela pandemia afetou muitos continentes, surpreendendo muitos. Além de mudar os hábitos de higiene, o Covid-19 causou alvoroço pela falta de aconselhamento médico mais seguro além do distanciamento social.

Para as empresas, tempos de crise exigem resiliência. Nesse contexto, agilidade e investimento são necessários para garantir a sobrevivência do negócio.

As empresas tradicionais tiveram que mudar sua abordagem e compreensão do conceito de “trabalho”. Por outro lado, a tecnologia é a base para o crescimento em determinados setores, como e-commerce e serviços de entrega.

Mudar hábitos tornou-se parte da norma social. Muitas empresas estão adotando home offices pela primeira vez e se surpreendem com as oportunidades e capacidades do trabalho remoto.

A transformação digital se tornou o novo normal. Para poder atender os clientes da melhor maneira possível durante uma crise e continuar crescendo, as empresas apostaram em fornecer softwares e ferramentas adaptáveis.

De acordo com o estudo da Universidade de Stanford (16.000 entrevistados), a maioria das pessoas que trabalha em casa tem um desempenho 13% melhor.

Ferramentas e métodos como análise de pessoas, software de recrutamento e seleção e análise de demissão precisa, que antes eram considerados uma tendência em RH, estão começando a se tornar mais necessários.

As empresas que aprimoraram sua tecnologia e transformaram seus setores tiveram um impacto diferente daquelas que tiveram que se apressar para automatizar durante a pandemia.

No entanto, essa nova realidade não se manifesta como algo que persiste apenas durante uma crise. Então, vamos detalhar alguns dos comportamentos que devem ser aplicados no período pós-pandemia e dar uma olhada!

2

A nova realidade do RH

O capital humano é a chave para o sucesso de qualquer empresa. Em tempos de crise, tensão, ansiedade e inseguranças se tornam mais comuns.

Em todo o mundo e no Brasil, muitas empresas fecharam, gerando mais incerteza. Tudo isso afeta o estado emocional dos profissionais e, portanto, sua produtividade.

Compreender os funcionários e suas tendências comportamentais ajuda a gestão a entender como os profissionais se comportam e pensam em tempos de crise.

A gestão de pessoas, com uma compreensão mais profunda dos colaboradores, baseada inteiramente em dados, emerge da realidade de crise e traz mudanças profundas para o futuro.

Estar no centro das atenções em tempos de isolamento social é fundamental. E, por ser referência no tratamento dessa delicada situação, o RH não deve olhar para trás.

Os investimentos em tecnologia que permitem que os colaboradores se unam, mesmo em isolamento social, capacitam o RH a se posicionar e falar com os líderes.

Assim, o “novo normal” em RH envolve maior autonomia e liderança. Banco de dados, tomada de decisão mais eficaz, fortalecimento da cultura organizacional são aspectos onde outros continuarão a estar.

 

O novo RH normal após a pandemia

O princípio básico da nova realidade que o RH encontrará após a pandemia é saber exatamente onde está.

É imprescindível saber exatamente qual é o seu negócio e tentar não se poluir com o que é do outro, o “normal” será diferente para cada empresa.

Algumas organizações consideram manter escritórios domésticos a longo prazo. Outros rejeitaram a ideia por causa de sua produtividade em declínio durante a pandemia.

Portanto, entender exatamente de onde você está começando torna-se fundamental para o gerenciamento. Isso só pode ser feito adotando os hábitos que listaremos abaixo no “novo normal”.

3

Refinamento da análise de dados

Como dissemos, tempos de crise exigem ações ágeis e tomadas de decisão precisas. O movimento errado pode comprometer o futuro da empresa e causar danos irreparáveis.

Como resultado, os dados se tornam a base fundamental para a tomada de decisões durante uma crise.

A análise preditiva tenta criar cenários e situações que permitem que as empresas mantenham suas portas abertas após uma crise, o que pode ser mais preciso a partir da pesquisa de dados.

O RH possui um conjunto exclusivo de dados: histórico de desempenho dos funcionários, frequência, absenteísmo, clima organizacional, progresso em direção às metas globais e muito mais.

Sem um registro preciso dessas informações, é quase impossível tomar decisões de negócios realmente eficazes.

Por exemplo, neste momento de crise, empresas que fecham sem uma estratégia podem sofrer consequências negativas e lutar para voltar ao crescimento.

Para estar mais estrategicamente posicionado, o RH deve manter esse caráter na era pós-pandemia e na nova realidade que está por vir.

Ter uma base que possa atuar e ter uma gestão de pessoas realmente relevante é fundamental.

4

O papel da comunicação interna

Com o distanciamento social obrigatório para manter os funcionários seguros, muitas empresas adotaram uma abordagem de trabalho em casa.

Para isso, foram criados medidas, hábitos e frequências, todas pautadas pela comunicação interna.

Manter todos os colaboradores informados sobre a atitude da empresa e o caminho percorrido em tempos de crise é uma forma de levar segurança e segurança aos profissionais.

Essa tendência de estar perto – mesmo à distância – tornou-se uma necessidade para a gestão de pessoas. Diante do isolamento, o RH é desafiado a articular e aprimorar as interações em todos os departamentos, e espera-se que as lições aprendidas sejam recompensadas na era pós-crise.

 

Modo operacional

Embora os escritórios domésticos sejam uma tendência crescente, muitas empresas estão relutantes em implementá-los – e outras ainda não podem.

Isso mudou à medida que a pandemia se expandiu. Empresas em todos os países estão começando a implementar o trabalho remoto e contar com os benefícios que ele oferece – como economia de recursos.

Isso não significa que as empresas não contratarão em um futuro pós-pandemia, mas poderão tornar os funcionários mais produtivos e saudáveis ​​em seu ambiente de trabalho.

A nova realidade do RH passa por conseguir engajar os colaboradores de forma mais natural e orgânica, proporcionando um cenário estável, saudável e próximo.

Espere conseguir superar este momento turbulento adaptando-se a uma realidade diferente. O novo normal no RH durante a pandemia traz conhecimento relevante sobre investimento em tecnologia e um toque mais humano.

O RH que entende os funcionários pode realmente ser a gerência. Para isso, é preciso saber lidar com diferentes perfis dentro da empresa.

 

É treinamento? A gente sabe fazer

A WIDE Educação oferece estratégias maduras para melhorar o treinamento interno das empresas, promovendo um cenário mais saudável e produtivo. Venha fazer parte da nossa história e nos deixe contribuir com a sua!

Conheça mais!